Danças Mirandesas – Apresentação

Danças Mirandesas - Apresentação

Neste capítulo sobre danças de Terra de Miranda vamos apresentar algumas danças paralelas, também alguns repasseados, e, apenas, duas danças a dois.

Na panoramica geral da coreografia popular mirandesa, que apresentamos e ainda pouco dos muitos e ariados bailados populares mirandeses, que se dançam com ou sem coros, om ou sem musica, e, muitas vezes com o assobio pastoril.
Para levar a cabo um trabalho que abrangesse a grande tão significativa riqueza da coreografia popular de Terra de Miranda, seriam precisos vários anos de trabalho exaustivo com um grupo de colaboradores valorosos e adestrados.
Limitamo-nos, por agora, a tratar cinco bailados paralelos ou de coluna – o Galandum, o Pingacho, Ligas Berdes, o Maganão e o Redondo, oito bailados repasseados – As Geriboilas, a Solidana, o Verde Gaio, Para namorar morena, Fui-me a confessar, o Maripum, o Balentim Tras-tras e a Madre Abadessa, e duas danças a dois – a Fraile Cornudo e o Mira-me Miguel.

Bailados paralelos

Os bailados paralelos, também chamados de coluna, são caracterizados por, no começo da dança, os pares se dispôrem em duas filas paralelas em que homens e mulheres se colocam frente a frente.
São comuns na Terra de Miranda e frequentes em quase todas as aldeias deste recanto do Entre-Sabor-e-Douro e ainda noutras regiões do Leste de Trás-os-Montes.
Ainda no mês de Outubro de 1980 vimos (A. M.) um grupo de rapazes e raparigas de Rio de Onor dançar, ao som de gaita de fole, danças paralelas semelhantes às mirandesas.
Estudamos os seguintes bailados paralelos: o Galadum, o Pingacho, Ligas Berdes, o Maganão e o Redondo.
Os dois primeiros foram publicados in «Douro Litoral», Boletim da Comissao Provincial de Etnografia e História, o primeiro em 1953 e o segundo em 1957, que agora se republicam com alguns acrescentos.

Coreografia Popular Transmontana
                 Prof. Santos Junior
                                                                                Dr. António Mourinho